elisangelo.ramos@gmail.com

segunda-feira, abril 10, 2006

Cabo Verde, terra-terra na TCV



Cabo Verde no ecrã
"Mostrar Cabo Verde tal como se apresenta" é um dos propósitos de uma série de 26 programas que estreia esta terça-feira na TCV e na quinta na RTP África, com produção e realização da Textimedia. "Nha Terra, Nha Cretcheu" mistura a reportagem e o entretenimento, dando a conhecer ao país artistas que só ouvimos cantar no nosso bairro, os cutelos mais remotos e curiosidades históricas, entre tantas outras descobertas que, ilha a ilha, se irão revelar.
“A ideia era fazer um programa que contribuísse de forma activa para a integração dos cabo-verdianos na diáspora. Mas, tendo em conta, que os países de acolhimento muitas vezes não recebem bem estes imigrantes é também uma forma de mudar a imagem que estas comunidades têm no estrangeiro”, disse ao “Asemanaonline” Maurício de Carvalho, coordenador desta série de programas.
“Nha Terra, Nha Cretcheu” quer também mostrar Cabo Verde aos cabo-verdianos. “Quem vive num cutelo no Fogo não sabe que há uma auto-estrada no Sal e que o Mindelo vai ter um porto de águas profundas ou que a Praia tem um aeroporto internacional. É preciso que as pessoas se conheçam umas às outras e a televisão tem essa função de unidade nacional, mais ainda quando se trata de um arquipélago. A rádio até pode estar lá, mas é a televisão que mostra”, justifica o responsável do programa, que vai passar às terças e domingos na TCV, às quintas na RTP Africa e na RTP Internacional, em dia a definir.
O primeiro programa é dedicado ao Sal. Todas as ilhas serão, de semana a semana, “vistas ou revistas” em um, dois ou três capítulos.
“Asemanaonline” teve acesso à segunda emissão dedicada à ilha do Fogo, que irá para o ar daqui a uma semana. O programa, que desvenda algumas das histórias e mitos da ilha, apresenta uma imagem cuidada, onde se destaca uma bela fotografia, retocada de cores quentes. Em jeito de documentário, figuras destacadas da ilha vão contando as suas histórias, enquadradas em “off” por um narrador que contextualiza os acontecimentos, as datas, os nomes. O programa tem uma entrevista de base e ainda vários momentos musicais, preferencialmente com artistas locais, pouco conhecidos do grande público.
A produção e realização é da produtora Textimedia, que fez, este ano, os tempos de antena do PAICV e de Pedro Pires, em parceria com a TCV. A emissora cabo-verdiana tem vários profissionais a trabalhar em exclusivo para este programa: Henrique Rosa e Jorge Delgado, operadores de câmara, Joaquim Livramento, assistente de realização e Jair, operador de final cut.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home